Kylie.com.br

Kylie Abre Seu Coração

Confira a entrevista exclusiva que a estrela australiana concedeu ao jornal britânico
Daily Record:

* Kylie Abre Seu Coração *

29.10.2007 – Por John Dingwall
Exclusivo: Kylie fala sobre Combate ao Câncer, Depressão
e seu novo álbum

Kylie Minogue, a Princesa do POP, pode ter vencido o câncer
de mama, arrebatado os corações de toda a nação
e ressucitado sua carreira, mas ela admite que sua vida nunca mais será
a mesma. A atraente cantora caiu em depressão enquanto se recuperava
da cirurgia e da quimioterapia de combate à doença. Embora queira
esquecer do câncer que ela teve diagnosticado em 2005, percebe que isto
sempre será parte de sua vida.

Kylie esteve falando um pouco antes do lançamento de
seu último álbum, X. O primeiro single do álbum, "2
Hearts" (Dois Corações), estará disponível
na próxima semana e é quase certo que veremos a pequena estrela
voltar direto ao topo das paradas.





O álbum será lançado junto com "White Diamond"
(Diamante Branco), um documentário feito para o cinema, enfocando sua
"Showgirl Homecoming Tour" de 2006. Kylie, que faz
40 anos no ano que vem, só poderia estar orgulhosa de ter ultrapassado
suas dificuldades.

Ela disse: "Me sinto bem. É estranho pensar que o álbum está
quase sendo lançado, que as pessoas o estarão ouvindo e que eu
terei as primeiras reações ao documentário. Estes foram
meus pequenos projetos por tanto tempo, e agora finalmente chegou o momento
pelo qual tanto esperei".

"Estou tentando controlar a emoção e me adaptar. O documentário
foi filmado durante a turnê e estou feliz que finalmente esteja sendo
lançado".

"O álbum é completamente novo, mas o filme mostra tempos
difíceis. Primeiro a ‘Showgirl Tour’, depois minha doença e depois
a ‘Showgirl Homecoming Tour’."

"Tudo isto é ainda muito presente para mim, e estou feliz em poder
libertar isto agora que o filme está sendo lançado".





Mas embora queira seguir em frente com sua vida, Kylie sabe
que sua doença sempre estará presente de algum jeito. Ela disse:
"Estou constantemente sendo lembrada daquelas experiências, não
só porque as pessoas me perguntam a respeito, mas também porque
são parte da minha vida. Aqueles momentos são parte das experiências
que me fazem quem eu sou. Também tenho que fazer minhas revisões
de saúde e coisas assim".

"Seria ótimo se eu pudesse colocar todas essas experiências
em uma caixa e amarrar com uma fita em volta. Mas não é tão
simples, mesmo eu querendo acreditar que tudo acabou".

Retomar sua turnê depois de vencer o câncer foi vital para Kylie,
que admite ter ficado deprimida enquanto não estava trabalhando. Ela
disse: "Eu tinha o sentimento de que tinha parado no meio do vôo.
Uma turnê precisa de aceleração. É como andar de
bicicleta: você precisa pedalar para ganhar velocidade. De repente eu
estava fora de todas as coisas da minha vida".

"De qualquer jeito, você precisa um pouco de tempo para encontrar
paz interior depois de uma turnê. É uma condição
médica – depressão pós-turnê".

"Esta depressão veio de repente sobre mim, mas eu tinha o trunfo
de continuar a turnê, e olhando agora, foi uma bênção
disfarçada. Eu fiquei absolutamente determinada a seguir em frente".





"Olhar para trás pode ser maravilhoso e um pouco desagradável.
Quando eu vejo algumas cenas de bastidores no documentário, quando vejo
partes da minha performance, eu me pergunto, ‘como eu consegui isso?’. Eu só
olhava para frente. Eu não sabia o quão bem eu faria, mas tinha
de fazê-lo para manter minha palavra. Eu tinha que provar que podia continuar
fazendo o que tinha feito no passado".

Kylie rapidamente descobriu, entretanto, que ela nunca seria
exatamente a mesma pessoa que era antes da doença. Ela disse: "Aprendi
que você nunca volta ao estado normal; ao invés disso, você
cria um novo estado normal. Eu tenho que aceitar minha vida com vitórias
e derrotas, considerar o bom e o mau".

"Eu vivenciei um ambiente totalmente novo. Experimentei um mundo de doença
e atitudes positivas. Estas experiências contribuíram para me tornar
uma pessoa mais madura. É quase impossível descrever essa experiência,
mas seria ótimo se eu pudesse influenciar positivamente a vida das pessoas".

Ela dá crédito a seu ex-namorado, Olivier Martinez,
que a ajudou nos tempos mais difíceis – inclusive a convencendo de que
ela iria sobreviver. Ela disse ainda: "Olivier é incrível.
Ele me apoiou durante a primeira ‘Showgirl Tour’. Ele estava comigo também
quando eu soube do diagnóstico. Quando as coisas ficam difíceis,
nas horas de crise, você aprende muito sobre as pessoas. Ele me ajudou
por todo esse período. Quando eu tive dúvidas, isto me ajudou".

Outro homem especial que esteve ao seu lado durante todo este período
de luta foi seu diretor criativo, William Baker, que Kylie
chama de seu "marido gay". Ele começou como seu estilista,
mas agora é um amigo com quem ela passa muito tempo. Foi William
quem criou a nova imagem para o álbum, que foi baseada em pôsteres
dos anos setenta e oitenta. Kylie disse: "Willie e eu
tentamos vir com uma idéia que fosse diferente das que já utilizamos.
Nossa última idéia juntos foi a ‘Showgirl Tour’, com todas as
plumas e acessórios, e isto certamente será um marco nos meus
shows. Mas nós levamos isto aos extremos, então eu não
consigo imaginar que pudéssemos melhorar o visual ‘Showgirl’. Basicamente,
nos entediaria. Era hora de algo novo".





"O ‘electro-rock’ do novo album e as referências dos anos oitenta
nos ajudaram a chegar ao nosso novo estilo: expressivo, mas não rude".

"Willie e eu temos um relacionamento simbiótico. Há uma certa
conexão criativa entre nós, além da nossa amizade. Nós
confiamos um no outro, e eu consigo me abrir e fazer coisas que eu não
faria com outras pessoas. Ele tem muita criatividade, e nós sempre rimos
muito juntos. Ele começou como meu estilista, mas hoje ele é meu
amigo, meu ‘marido gay’. É como se fôssemos casados, somos muito
dependentes um do outro".

Muitos de seus trajes ao longo dos últimos anos são mostrados
em "Kylie: A Exposição", no Museu e Galeria de Arte
Kelvingrove de Glasgow – incluindo seu famoso short dourado. Ela diz que eles
não tinham a intenção de colocar todos estes trajes juntos:
"É estranho ver todas as roupas juntas assim, já que elas
foram criadas para diferentes momentos", disse Kylie.
"Por exemplo, o traje de ‘Showgirl’ precisava ser bonito de perto e ter
um grande efeito na arena. Os trajes que foram feitos para meus videos só
tinham que parecer bons na tela. O traje branco que usei no vídeo de
‘Can’t Get You Out of My Head’ fica uma tristeza no cabide, mas todos os trajes
funcionaram bem em seus contextos. Achei estranho vê-los lá, sem
vida".

No final, Kylie rebateu as palavras de Ian Brown,
ex-Stone Roses, que disse que o prêmio dela como "Ícone do Ano"
não estava certo, pois sua música era "um lixo". Kylie
simplesmente diz: "No campo do POP é fácil dizer que eu não
sou uma artista. Bem, tudo que você faz é talento artístico,
e não estou por aí há 20 anos só por sorte".

Confira os scans deste artigo que foi postado por Kylaco
no fórum Say Hey:




Comentários ()
Tags: Sem categoria Publicado por Staff KYLIE.com.br em 1 de novembro de 2007 às 15:00

Você pode se interessar também por:

  • Não há post relacionado!

Facebook

Twitter

Copyright © 2004-2017 KYLIE.com.br - Kylie Minogue Brasil. Todos os direitos reservados.

Designed por Leo