Kylie.com.br

The Guardian publica review de Kiss Me Once

O The Guardian teve a oportunidade de ouvir o novo álbum da princesa do pop. É uma explosão de day-glo dance, colaborações com artistas do momento, uma lição de como ser sexy e ainda assim educada e… um pouquinho de Enrique Iglesias.

Depois de romper uma parceria com empresário com qual a gerenciava há 25 anos e assinar um contrato com a Roc Nation, “Kiss Me Once“, o 12º álbum da Kylie, surge para afastar os rumores de que a cantora se afastaria da indústria da música

Surgiram rumores sobre um single com a participação da rapper Brooke Candy, assim como colaborações com seu colega de The Voice, will.i.am. Nenhuma delas foram concretizadas para o álbum. Na verdade, “Kiss Me Once” pode ser definido como um híbrido de álbuns recentes da Kylie, especialmente a exuberância de “Aphrodite” (2010) e a pegada edgy eletro de “X” (2007).

Into The Blue
Nos últimos anos, os melhores singles da Kylie foram aqueles que soaram com uma elegância indefinível, mostrando seu melhor sem muito escândalo, e sim de uma forma que significa que você não consegue parar de cantá-los pelos próximos cinco dias. “Into the Blue” não pode ser comparada com faixas como “The One” ou “I Believe In You”, mas consegue ser o melhor single que Kylie lançou desde “All the Lovers”. Os primeiros versos capturam perfeitamente a solidão que a fama traz.

Milion Miles
Se você é fã da Kylie há muito tempo, pode se preparar: “Milion Miles” começa com guitarras! Guitarras reais, do tipo que ela usou em 1997, no quase destruidor de carreiras “Impossible Princess“. Felizmente, após cerca de 15 segundos, a canção ganha uma grande batida e tudo começa a aparecer mais algo pós Light Years“. O refrão (“Feel like I’m a milion, milion, a milion miles away”) parece ser sobre sexo com alguém sem nenhuma conexão emocional ao invés de ser sobre Kylie estar na Austrália e seu namorado no Reino Unido.

I Was Gonna Cancel
São raros os álbuns pop que não venham com o “produzido por Pharrel Williams” em algum lugar dos créditos. Apesar de tudo, essa música ainda assim consegue ser um tanto surpreendente. Pharrel criou uma melodia elettro-funk que relembra o eletro-R&B híbrido de “Body Language” e seu próprio trabalho com Madonna em “Hard Candy“. Inspirado pelo fato da Kylie quase ter cancelado a sessão por não estar muito bem devido a problemas pessoais, “I Was Gonna Cancel” surge como um mantra de autoajuda transformado em uma música. Assim como a maioria das produções de Williams, os detalhes são brilhantes, incluindo um teclado à la Stevie Wonder e o coro fantasmagórico que paira no fundo.

Sexy Love
Com um tom disco e uma pitada de slap bass, “Sexy Love” poderia ter dado vida ao último álbum do Daft Punk, caso o duo francês tivesse uma vocalista mulher. Os versos são mid-tempo e há um grande momento com sintetizadores para o refrão. Vindo de Kylie, tudo acaba sendo muito divertido e brincalhão. É sexy, mas ainda bastante adolescente, especialmente quando ela canta sobre “amassos”, como uma menina de 15 anos apaixonada.

Sexercise
“Kiss Me Once” teve produção executiva de Kylie e a compositora mais requisitada do momento, Sia. A faixa começa com o som de harpas e logo se transforma num magnífico dubsptep. Ainda assim, Kylie soa educada, mesmo quando ela está sussurrando versos de duplos sentido como “I’ll make you wait for more, make you all get to the core, tomorrow you’ll be sore” .

Feels So Good
A regravação de “Indiana”, por Tom Aspaul, é o tipo de dance pop moderno que Kylie geralmente faz muito bem. É uma faixa cheia de alegria.

If Only
Kylie parece que está indo mais longe do que o habitual dance pop gay que vem fazendo e “If Only” é talvez o seu momento mais experimental em “Kiss Me Once”. É uma amável balada futurística cheio de texturas e novos sons.

Les Sex
É uma sofisticada canção eletropop criada pelo duo nova iorquino, MNDR. Há sintetizadores e ótimas batidas. Seria incrível como um single para o próximo verão!

Kiss Me Once
Coescrita por Sia, a faixa título é basicamente uma canção vintage. Traz elementos de ritmo mid tempo, porém evita armadilhas açucaradas de baladas clichês. A letra é sobre a celebração do amor vencendo barreiras e o refrão revela algum tipo de relação com um beijo mágico. (“Kiss me once and you will watch me fall, kiss me twice and I will give yo u my all”. Diferente da maioria das criações da Sia, a música realmente soa como Kylie.

Beautiful (dueto com Enrique Iglesias)
Não é bem claro o motivo pelo qual Kylie decidiu fazer um dueto com Enrique Iglesias em 2014, mas, milagrosamente, “Beautiful” se encaixa bem, graças ao brilhantismo eletrônico da produção e das performances vocais onde os cantores soam como robôs lentamente se desligando. Ao invés do formato típico de dueto, a maioria dos versos são cantados simultaneamente.

“Fine”
Tal como acontece com todas as grandes estrelas da música pop, Kylie tem a habilidade de escolher a dedo o que é popular e fazer isso funcionar a seu favor. “Fine” tem a ligeira sonoridade de uma música house dos anos 90. Se encaixa perfeitamente no contexto do álbum, além de trazer uma dose de autoajuda, com Kylie entregando versos como “You’re going to be fine” e “It’s going to be okay, a brighter day will come.” O último verso de todo o álbum é: “Turn your face into the sun.” Isso não é incrível?

Mesmo com tantos produtores, “Kiss Me Once” realmente soa como um legitimo álbum de Kylie Minogue.

Kiss Me Once está em pré-venda no iTunes e será lançado no dia 18 de março. Ouça um trecho de todas as músicas do álbum:

Comentários ()
Tags: Kiss Me Once Reviews Publicado por Felipe Sudré em 18 de fevereiro de 2014 às 01:04

Você pode se interessar também por:

Facebook

Twitter

Copyright © 2004-2017 KYLIE.com.br - Kylie Minogue Brasil. Todos os direitos reservados.

Designed por Leo